DESFRUTAR CRISTO E APRESENTA-LO NAS REUNIÕES DA IGREJA

DESFRUTAR CRISTO E APRESENTA-LO NAS REUNIÕES DA IGREJA

           Nos livros de Levítico e Deuteronômio, são descritas a oferta pelo pecado, oferta pela transgressão, oferta pacífica, oferta de manjares e o holocausto. Todas elas tipificam Cristo como a realidade de todas as ofertas. Todas elas são Cristo dado a nós para que O ofereçamos a Deus. A oferta que queremos apresentar hoje é a libação, que representa nosso desfrute de Cristo, e não Ele, propriamente dito. Essa oferta, composta de vinho, era derramada sobre as ofertas que estavam sobre o altar. Isso fazia com que as chamas aumentassem e a oferta fosse consumida mais rapidamente, transformando-se logo em aroma agradável a Deus (Números 28:7-10).

            Para que haja vinho, é necessário que uvas sejam esmagadas, o que representa a obra da cruz em nós. Em nossa vivência, quanto mais estivermos sob o operar da cruz, mais vinho teremos para derramar sobre as ofertas e assim satisfazer o Senhor.

O que experimentamos de Cristo em nosso viver, não apenas por meio da leitura da Bíblia ou de uma mensagem cristã que ouvimos, mas o trabalhar de Deus em nossa pessoa e viver, devemos derramar em favor dos irmãos da igreja. Nosso desfrute de Cristo não pode .ficar retido em nós, antes, deve ser derramado para que surja um aroma agradável a Deus. Quando O desfrutamos como vinho, somos cheios de gozo e alegria, que precisam ser oferecidos como libação para o gozo de Deus e dos santos. Se fizermos assim, nossas reuniões da igreja serão transformadas. Em vez de ser passivos e expectadores, teremos sempre algo para derramar em favor dos irmãos e isso será agradável a Deus. Não há nada de errado em conhecer muito o Senhor e a Bíblia e ter ricas experiências com Ele, mas precisamos lembrar-nos de derramar o que conhecemos e experimentamos de Cristo pelos irmãos. Se derramarmos nosso desfrute de Cristo nas reuniões, elas serão alegres e cheias de Cristo.

O apóstolo Paulo, ao final da vida, quando escreveu sua segunda carta a Timóteo, disse que estava sendo entregue como libação, indicando que por toda a vida ele se entregara a Cristo e à igreja. Temos também o exemplo do casal Áquila e Priscila, que juntos se entregaram absolutamente ao Senhor e às igrejas, a ponto de até mesmo arriscar a própria cabeça. A consagração deles produziu o testemunho da igreja em cada cidade por onde passaram, iniciando-se por sua casa (Romanos 16:3-5; Atos 18:18-19).

Portanto, amado, tenhamos clareza de que o desfrute de Cristo não é apenas para nossa satisfação. mas de Deus e da igreja. Quanto mais O provamos como a realidade das ofertas, mais desfrute teremos que oferecer a Deus e à igreja. Por isso, gostaríamos de finalizar fazendo duas perguntas que o levem a uma reflexão. Quanto temos  desfrutado de Cristo? E quanto disso temos entregado à igreja? Que o Senhor nos dê a graça de desfrutar um pouco mais das insondáveis riquezas de Cristo e apresentá-las à igreja. O resultado satisfará a Deus, aos irmãos e a nós mesmos e às pessoas a quem dermos testemunho de Cristo.

Veja muito mais artigos como esse no Jornal Arvore da Vida.

Transcrição: Cosme Perota

Fechar Menu